Brasileiros passam 5 anos dentro de automóveis, mas o número pode ser revertido com o incentivo ao uso do transporte público.

Por 17 de abril de 2017 Cidades Sem comentários
shutterstock_175788590
O trânsito nas grandes cidades do Brasil já sinalizava, mas o estudo global feito pela empresa Citroën, em parceria com a francesa CSA Research, comprovou o que todo  brasileiro sempre soube: A população do país é a que passa mais tempo dentro do carro.
Segundo levantamento, o povo brasileiro passa em média 4 anos e 11 meses dentro de automóveis. Na pesquisa, o Brasil deixou para trás sete países europeus, China, Japão e Argentina.
O dado divulgado chega a assustar. Quase 5 anos da vida do brasileiro é passada no trânsito, mais que o dobro de tempo do último colocado na pesquisa, ocupado pelo Japão, com uma média de 2 anos e 5 meses.
Mas este número não é irreversível. A melhor opção para melhorar a mobilidade urbana dentro das cidades, e diminuir o tempo médio que o brasileiro passa dentro de automóveis, é o incentivo ao uso do transporte público.
O aumento dos corredores de ônibus faz parte do projeto de incentivos. Com o maior número de corredores, o tempo da viagem do usuário diminui drasticamente, tornando a utilização do transporte público mais vantajosa. A iniciativa também auxilia na diminuição da quantidade de carros que circulam pelas cidades, diminuindo a número de veículos nas ruas.
Nos últimos quatro anos, a Região Metropolitana de São Paulo obteve investimentos e melhorias em corredores pela cidade e mais entregas de trechos estão por vir, como o Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo; Trecho Itapevi – Jandira; Trecho Jandira – Terminal Carapicuíba e Trecho Terminal Carapicuíba – Osasco, além do BRT Metropolitano Cajamar – Santana de Parnaíba e BRT Metropolitano Perimetral Alto Tietê.
Utilizar o Cartão BOM nos ônibus da região metropolitana de São Paulo, metrôs e trens também auxilia no incentivo ao uso do transporte público, facilitando a ida e vinda dos passageiros.
Informações: Diário do Transporte.

Deixe um comentário